Viagens em Grupo

Homem voador

Qual foi o dia mais emocionante da sua vida?

A maior parte das pessoas responde com dúvidas entre vários assuntos: dia em que passei no vestibular, uma festa sensacional, casamento… Pois bem, o meu é fácil de escolher: o meu foi um dia em que aceitei pagar para me jogar de um bimotor a altura de 12.000 pés (cerca de 3.658 metros) com a garantia que um desconhecido no meio da queda ia puxar uma cordinha na mochila e um tecido de nylon ia amortecer a nossa queda.

Gostou? Mas porque não ?! Não precisa planejar muito para fazer essa viagem…

No meu caso, decidimos pular no dia anterior. De surpresa mesmo, sem planejar muito. Foi numa conversa despretensiosa que surgiu a vontade de tornar um final de semana pacato um algo a mais.

A princípio estávamos em 3, mas logo no início da viagem um de nós abortou a brincadeira. O amigão recuou pois estava “passando mal”. Então fomos em dupla para o centro de paraquedismo em SP (Boituva).

Saímos no início da manhã de São Paulo capital para o interior Boituva (no nosso caso são 116 kms em cerca 1,20 hr de viagem). No caso foi bem próximo, mas é muito comum que as pessoas do interior de São Paulo aluguem vans para pular Boituva. Dado que é um polo do paraquedismo em SP.

Só um parentese para falar de Boituva:  O local é um polo de paraquedismo em SP, onde se encontram cerca de 10 empresas e clubes que realizam o salto duplo para inexperientes no esporte (com instrutor). Não existe grande diferença de preço entre esses grupos, eventualmente se você vai saltar com muita gente (a partir de 10) existem cortesias como um salto com GO PRO de graça para um integrante do grupo. O que acaba por baixar o preço para todos.

Em Boituva é possível reservar churrasqueira ou almoçar em um restaurante. Uma boa opção seria ir pela manhã, saltar até o início da tarde, baixar a adrenalina e depois comer e beber com os amigos falando sobre a experiência. O Centro Nacional de Paraquedismo da cidade conta com três bares/restaurantes, hotel, área de camping, vestiários, estacionamento, áreas de dobragem e embarque.

Voltando ao procedimento de pulo, chegamos cedo, por volta das 11 horas. E fomos para uma empresa localizada bem afrente da entrada, a Sky Company.

Como não tinha pesquisado muita coisa antes do pulo (ainda bem) vimos as opções de salto que existem (com ou sem camera, existe até opção de ter um terceiro acompanhando e filmando tudo). Decidindo por pular com a câmera GO PRO acoplada no pulso do instrutor mesmo sendo um pouco mais caro (cerca de R$ 150 reais de diferença para o salto sem nada). Pois o resultado das fotos e vídeo fica muito bom! É recordação para a vida toda e juro que quando você assistir um ano depois vai sentir um pouco da adrenalina que sentiu no momento!

Esperamos cerca de meia hora para pular depois que fechamos o pacote. Acredito que por ser final de semana tinha uma boa fila de espera. Foi relativamente rápido no nosso caso pois tinham somente 2 pessoas. E então, vestimos a roupa de salto e nos dirigimos para um treino rápido sobre como deveria ser nosso comportamento quando a porta do avião abrisse, como deveríamos ficar até pular, durante o salto e no momento da aterrissagem.

Depois que você começa a se dirigir para o avião é que começa a ficar com a adrenalina lá em cima… Acredite, o extinto de sobrevivência começa a apitar e você começa a se dar conta do risco quando efetivamente entra no avião minúsculo e sabe que só vai ter uma maneira de chegar ao chão: Abrindo a porta e se jogando para o espaço. hahaha!

Achei um vídeo interessante de uma pessoa bem famosa contando como foi sua primeira experiência de salto. Com toda a habilidade e narração do estilo Hollywood, Will Smith narra, de uma forma bem realista, as emoções sentidas por uma pessoa antes e durante a missão. A elevação da adrenalina já começa no dia em que você vai saltar. Porque se da conta de que está se dirigindo para fazer uma coisa que poucos aceitam os riscos para completar.

Então, voltando ao relato, entramos no avião com cerca de 15 pessoas e começamos a subida lentamente até a zona de salto. Neste momento sua adrenalina já está fluindo a mil e a ansiedade toma conta da sua cabeça. Eu digo que será impossível você pensar em outra coisa, senão em como será na vez em que você tiver que pular do avião uma vez que a porta se abrir.

E uma vez que ela abre amigo, as pessoas começam a se deslocar em sequência. Pulando uma a uma na sua frente. Literalmente se debruçando na porta e pulando para o além. Oque da pra ouvir por ultimo quando alguém pula ao seu lado é um barulho de sucção, como se as pessoas tivessem sendo puxadas para fora do avião no momento que saltam.

E adivinha?! Chega a sua vez.

Maravilha, o início do salto já começa com você se debruçando na porta do avião e se ajeitando junto com o instrutor. Confesso que agarrei a mão na porta e foi difícil de saltar na hora que o instrutor começou a contar…

Acredito que um dos picos de adrenalina que você terá será exatamente nesse momento. Quando estiver se dirigindo para a porta aberta da aeronave, se dar conta exatamente do oque está fazendo.

UM, DOIS, TRÊS e VAI! A partir dai o medo se transforma em tranquilidade. Sinceramente, nos 50 segundos de queda livre a 220 km/h você só vai curtir, sem medo algum! E vai achar muiittooo rápido! Pois o quase um minuto passa como se fossem 15 segundos. O corpo mesmo não sente a queda, apenas a sustentação do vento. Se prepare para uma das melhores sensações da sua vida.

 

E depois da queda livre você acha que acabou a brincadeira?! Nâo!

De forma repentina você vai sentir um puxão muito forte no peito e axilas. Esse será o anúncio que o paraquedas está sendo acionado e a outra parte da brincadeira começa a partir dai!

O paraquedas é aberto entre 2.000 a 1.500 metros do solo, e você terá mais 5 minutos planando até a pista de pouso. Mas a adrenalina ainda não acabou!!

 

 

Uma brincadeira bem emocionante que o instrutor faz é deixar você guiar o paraquedas durante uns minutos e ajudar você a rodopiar várias vezes o paraquedas para dar mais uma dose de adrenalina na brincadeira…Muito bom!!!

Então depois de ficar cerca de 4 minutos planando e rodopiando em volta na pista de pouso. Surge o momento de aterrissar e então acaba realmente o passeio. Que da lugar a sensação de alívio e a descarga de ansiedade se desfaz completamente.

Deixei o meu vídeo abaixo para ilustrar a minha experiência. No passeio paguei R$ 420,00 pelo salto com direito a 200 fotos e o vídeo editado de 6 minutos.

Detalhe importante sobre o vídeo: Estava MUITO nervoso antes do pulo e o instrutor falava que estava com sono toda hora porque era dono de um bar próximo e tinha passado a noite acordado por lá. MARAVILHA!!!

 

Abaixo listei informações importantes sobre o pulo de paraquedas que podem ajudar se você está decidindo se encara ou não a brincadeira:

Preços médios das modalidades de salto:

Somente o salto com instrutor: R$ 280,00

Salto com instrutor com 200 fotos ou vídeo editado via GO PRO: R$ 410,00

Salto com instrutor com 200 fotos E vídeo editado via GO PRO (escolhi essa): R$ 430,00

Salto com segundo profissional que filmará você exclusivamente, 200 fotos E vídeo editado: R$ 600,00

Estatística interessante sobre a segurança de paraquedismo comparado com outros esportes:

Big Wave Surf
PRATICANTES: 1 000
MORTOS A CADA MIL: 3

Free Style Motocross
PRATICANTES: 6 mil
MORTOS A CADA MIL: 1,8

Base Jump
PRATICANTES: 12 mil
MORTOS A CADA MIL: 0,83

Paraquedismo
PRATICANTES: 1 milhão
MORTOS A CADA MIL: 0,12

Para ter mais informações e tirar algumas dúvidas frequentes como: E se o paraquedas não abrir?!; Pessoas gordinhas podem saltar? por favor, olhem o link abaixo.

7 curiosidades sobre salto de paraquedas que você precisa saber

Site da empresa que saltei:

http://www.paraquedismoskycompany.com.br/salto-duplo/#saltoduplo

 

Nos envie você também um texto com fotos e/ou videos contando sobre uma experiência de viagem com seus amigos.

Até a próxima !

~Equipe Excursa

 

    One Response

  1. Falaa Thiago, o paraquedismo é algo q tenho mta vontade de fazer ainda. Infelizmente ainda não tive a oportundidade. Acho que a correria do dia-a-dia acaba fazendo com que posterguemos o salto hahaha. Obrigado por compartilhar sua experiência! Abraço!

     

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *