Viagens em Grupo

Viagem na velocidade de cruzeiro

Se você está pensando em fazer uma viagem de cruzeiro ou já comprou o pacote para algum lugar que considerou especial. Meus parabéns, está tomando a decisão correta para suas próximas férias.

E este relato será totalmente parcial para as vantagens de realizar este tipo de experiência. Pois foi uma das melhores viagens que realizei por um bom tempo e o valor investido realmente tornou ainda melhor.

Realizei o passeio de cruzeiro com mais três amigos com tudo pago, ou seja, todas as bebidas e comidas foram incluídas no pagamento inicial do pacote. E nosso pacote se tratava de uma estadia de uma semana dentro desta cidade flutuante que dispõe de muito mais atrações que pensava inicialmente.

O roteiro ficou por uma passagem em Maceió (AL) e Salvador (BA), sempre com paradas de um dia ou dois nestes lugares para ter tempo de fazer um passeio e conhecer os lugares.

Para falar mais especificamente do barco, o transatlântico que pegamos é chamado de Imperatriz. Que dispunha de piscinas e jacuzzis, parede de escalada, teatro, dois restaurantes (um aberto 24 horas e outro com reserva), boate, elevadores panorâmicos, Coffee shop e cassino (melhor parte).

Na área de serviços, o navio oferece spa, butiques, academia e Business Center. Sensacional!

A embarcação tem capacidade para abrigar 1.900 passageiros, com 800 cabines disponíveis. Nós ficamos em uma cabine para 4 integrantes porque podia abrigar a todos sem problemas e economizamos bastante uma vez que ninguém queria ficar na cabine ao longo do trajeto e não houve necessidade de varanda.

Excelente relação custo-benefício se você fizer as contas e considerar o custo isolado de hospedagem, alimentação, entretenimento, transporte e deslocamentos o valor fica bem em conta.

Compramos o pacote pela CVC para viajar pela MSC Cruzeiros. O custo de viajar com 4 pessoas em um cruzeiro de 7 noites pelo nordeste, com tudo incluso, no período de dezembro (temporada de cruzeiros), cabine interna (sem janela) está próximo de R$ 1.800 por pessoa.

Foi o estilo de baixo custo que optamos. No entanto, os preços vão se elevando se você quiser uma cabine com janela ou varanda. Além de reduzir o número de integrantes na cabine.

Encontrei um vídeo muito bom mostrando toda a área comum do cruzeiro que realizamos. Vale a pena conferir para ter uma ideia do clima que fica na embarcação:

Com relação a nossa experiência, depois de passar pela fila para entrar no barco, ficamos um bom tempo no deck da embarcação aproveitando o sol, o open bar, as piscinas com jacuzzi e a recreação oferecida.

Nos três dias que se passaram em alto mar até chegar ao primeiro destino (Maceió), curtimos muito os shows de música, o cassino (se joga com dólares), a boate e o karaokê. O barco realmente balança durante alguns momentos, lembro de que na boate , logo na primeira noite, foi fácil perceber o balanço. Mas foi somente uma vez que puder sentir o barco se movimentando.

Depois de três dias em alto mar, a primeira parada foi em Maceió, saímos do barco e alugamos um carro e buscamos conhecer uma famosa praia, a chamada praia do Francês.

Pertinho de Maceió, uns 30 a 40 minutos. Água transparente e morna. Esta praia tem fama pois seus recifes fazem ela parecer uma piscina. Existem muitas opções de bares, passeios turísticos como jet-skis, banana boat e sinceramente os coqueiros ao longo da costa fazem a paisagem realmente sensacional. As suas águas variam do azul-turquesa ao verde-escuro e a areia é clara e fofa. Um cenário típico do nordeste.

Depois de passar a tarde andando pela praia e aproveitando o clima do litoral nordestino, voltamos com o carro para passar a noite em Maceió. Mas sendo bem franco, em um dia da semana a cidade fica meio vazia a noite e a vida noturna não pareceu tão presente. Acabamos voltando para beber e curtir a boate do barco.

A próxima parada foi em Salvador. Como tínhamos apenas um dia para conhecer e acabamos atrasados devido a ressaca que uma festa no dia anterior trouxe, saímos correndo do barco para o Farol da Barra, peça histórica que foi construída em 1698, para acompanhar uma apresentação de capoeira que acontece ao lado.

Logo depois corremos para o Elevador Lacerda, um dos principais pontos turísticos e cartão postal da cidade para comprar algumas lembranças e desfrutar de um sorvete de caja, fruta que não existe no Rio de Janeiro ou São Paulo por exemplo (cidades que fico revesando).

Sinceramente, tínhamos apenas mais duas horas antes do navio sair de Salvador em direção ao Rio, e então tentamos esticar o passeio para conhecer a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, o Mercado Modelo, lugar onde existem toda a variedade de artesanato e o Pelourinho com uma apresentação do famoso ritmo do Olodum que por sorte estava passando em quanto estávamos correndo de volta para o carro de uma conhecida que nos mostrou a paisagem nesta curta passagem pela Bahia. 

Um detalhe a parte foi que no momento em que estávamos voltando vimos o transatlântico apitando marcando a sua saída do porto. Neste instante, saímos correndo para alcançar a embarcação que estava literalmente em movimento! Uma equipe da tribulação baixou uma tábua improvisada para que pudêssemos entrar rapidamente na embarcação.

Uma dica importante!! O navio pode sair sem os passageiros se houver atraso, sem problemas. Então, por mais óbvio que pareça, chegue cedo nos horários combinados na embarcação.

Na viagem em questão resolvemos fazer todo o passeio pelas cidades por conta própria. Mas existem excursões oferecidas no navio que realmente valem a pena.

Inclusive, um detalhe importante: o fato de ser tudo incluso da a vantagem de aproximar mais os grupos que fazem a viagem. Foi exatamente oque ocorreu no percurso da viagem. Fizemos muitos amigos que fizeram total diferença no cruzeiro. Principalmente de estados como Minas gerais e de várias partes da região Sul.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *